segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Meu Pequeno Relato:


O que vocês lêem aqui é um relato verdadeiro e talvez o ultimo, estou prestes a me entregar aos desejos e caprichos alheios, estou prestes a me entregar ao sistema, ao consumismo desenfreado que esta destruindo o nosso mundo, em breve serei forçado a aderir ao sistema, sendo abrigado a ser aquilo que minha família quer e não aquilo que eu quero ser, minhas vontades, meus sonhos e esperanças não tem valor, nunca tiveram, minha opinião nunca será ouvida alem do silencio da festa que eu nunca tive.
E você melhor do que ninguém vera o reflexo no espelho dos meus olhos, olhos que nunca viram uma amizade verdadeira, ate duvido que tal coisa exista, não que eu não tenha tido colegas, tive vários tantos quanto posso contar, mas nenhum foi um amigo verdadeiro, nunca pude confiar, amar e respeitar alguém, minha alma dói, não me importo com a dor de ninguém, pois minha alma dói.
E essa dor não passara, pois nem mesmo Deus ou Deuses ou qualquer coisa me ajudou, estou mergulhando no mar do caos e da solidão, mar dos Ateus e céticos, minha esperança acabou, meus sonhos morreram, assassinados pela minha família, minha mãe e meu pai, nunca me apoiaram em nada, nunca me incentivaram em nada, nunca me ajudaram em nada, a eles não tenho nada a agradecer e se engana quem acha que devo agradecê-los por me porem em um mundo onde nada que eu imaginei para mim aconteceu.
Cada dia que se passa eu morro um pouco mais, sento açoitado pelos olhares de reprovação da minha irmã, que o único motivo de sentir tanto ódio de mim é pelo fato de sua imensa inveja preenche-la, despeito e falta de talento, resumindo, estou em um mato sem cachorro, sem mato sem nada, estou em um vazio e não vejo saída dessa imensidão escura e fria que é a minha vida.

Marcus Vinicius Góes Soares do blog: http://wiccataubate.blogspot.com/