quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Comentando o Blecaute e a Lua Cheia

Esse Relato saiu direto do meu Grimório: 
 
Aproximadamente a meia noite do dia 2, teve um blecaute aqui no meu bairro o jardim Mourisco em Taubaté, eu aproveitei a escuridão para ouvir as musicas pagãs no meu celular com o fone de ouvido e fiquei sentado na minha poltrona, meus olhos já estavam acostumados a escuridão da cidade iluminada pela luz da Lua Cheia.

Estava pegando o incenso para acender e oferecer a Lua quando a energia elétrica voltou, fiquei um pouco incomodado, pois não queria que a luz amarelada dos postes públicos atrapalhassem a luz natural da Lua Cheia.
Mesmo assim ouvindo minhas musicas wiccans com o fone já que era de madrugada e não queria fazer barulho e cantei, dancei e ofereci incenso de alfazema para a Lua Cheia, senti a energia poderosa da Lua, me senti eufórico e satisfeito fazendo uma coisa simples.
Depois tomei um banho de purificação e fiz uma magia simples que postei no meu blog para absorver a energia da Lua Cheia, senti ainda mais energia durante esse pequena magia, bebi vinho como união.
O que aprendi nessa Lua Cheia é que haverá momentos em que as trevas virão sem aviso sobrepujando a luz, em outros momentos a luz afastara as trevas, e muitas vezes temos que aprender a conviver com os dois lados.
Nem tudo dará certo, nem tudo sairá como planejado, mas no balanço geral essas três primeiras madrugadas de 2018 tem sido de magia de uma forma ou de outra.   



Por: Marcus Vinicius Góes Soares