quarta-feira, 21 de março de 2018

Minha Experiência no Ritual do Outono e o Ensinamento que Recebi

ATENÇÃO: Esse relato saiu direto do meu Grimório. 

Ontem dia 20/03/2018 eu celebrei o sabá Wicca de Mabon, o equinócio de Outono, foi mais rápido do que eu esperava, durou quase uma hora, montei o altar de uma forma um pouco diferente, eu ia no meu quintal e pegar várias folhas das arvores para forrar a altar e assim simbolizar as folhas que caem na época do Outono, me ajudando a me ligar mais a natureza já que eu faço meus rituais dentro de um quarto fechado e raramente vou em um local em que tenha natureza.
Porem choveu muito e senti que isso era uma mensagem do divino para que eu não arrancasse as folhas das arvores, mas ainda sim eu peguei um ramo de alecrim e o fervi para fazer um bom banho de purificação, como de costume eu sempre limpo o local antes de montar o altar, e tomo um banho antes de fazer o tradicional banho de purificação.

Fiquei vestido de céu como de costume e coloquei apenas quatro velas no altar, duas marrons, uma para Hécate e outra para Perséfone, eu não venero Perséfone, mas senti que deveria acender uma vela para ela, eu senti muito mais energia vindo da vela de Perséfone do que das outras, e acendi uma vela verde para o Deus Cernunnos, é a primeira vez que ofereço uma vela ou qualquer tipo de oferenda para Cernunnos apesar de fazer algum tempo que rezo para ele e Cernunnos me ajudou a revelar qual é o meu animal Totem e por fim acendi uma tradicional vela prata para os Cavaleiros do Passado.   

Para quem lê isso deve imaginar que eu faço uma grande Salada Mística, pois trabalho com varias egrégoras diferentes, Deuses e Deusas de Panteões diferentes, porem é isso que eu sinto que devo fazer e eu prefiro seguir os meus instintos, me sinto bem fazendo isso.
No meu altar eu coloquei dois pratos com frutas, pois eu não tenho uma cornucópia que seria um objeto mais tradicional para o sabá de Mabon, coloquei no prato, batata, banana, várias maças, olho e cebola e tomate, coloquei um prático com nozes e outro com pão integral, em uma taça eu coloquei meu vinho para o ritual de bolos e vinhos, e outra taça com suco de abacate, pois eu senti muito que deveria colocar esse elemento inédito em um ritual. 
Durante o ritual eu bebi o suco de abacate e o vinho e também comi algumas nozes, e isso foi o bastante para acabar com a minha fome, fiquei sem sentir fome por horas depois do ritual, aquele pouco alimento me sustentou e olha que eu estava a horas sem comer antes do ritual.
Eu coloquei encima do altar além do sal grosso usado para purificar a mesa, folhas de louro secas e folhas de alecrim seco para me unir a natureza e energizar o ritual já que as folhas de louro podem ser usadas para a prosperidade e desejos e o alecrim é usado para purificação, e é claro um monte de pedras e cristais diferentes para me ajudar a me conectar ainda mais com as energias da natureza.
A energia que regeu esse ritual foi o da gratidão, agradeci muito aos Deuses e elementais pela prosperidade que tem na minha casa e na minha vida.
Eu recebi um ensinamento durante o auge do Mabon, não sei quem me enviou esse ensinamento, não sei se foi um Deus ou Deusa, elemental, dragão ou Cavaleiro do Passado, ele é bem clichê, mas é pela mensagem que a gente conhece o mensageiro.

Mensagem: O que temos devemos dividir com aqueles que não tem, seja comida ou conhecimento.

Que esse ensinamento ajude outros!



Por: Marcus Vinicius Góes Soares

Clique aqui e Leia sobre o Sabá de Mabon o Outono