sábado, 27 de janeiro de 2018

Explicando a SuperLua, Lua Azul e Lua de Sangue da noite de 31 de Janeiro


O que é o que?

A LUZ AZUL é a segunda Lua Cheia que ocorre no mesmo mês, raramente a vemos ficar com uma cor azulada, em 2018 a Lua Azul será no dia 31 de janeiro (quarta feira).

E também nessa mesma noite, será a SUPERLUA que é o momento em que a lua esta mais perto da Terra e portanto estará mais visível, mas não achem que a lua estará dez vezes maior do que o normal, ela estará um pouco maior do que o comum.

E será a LUA DE SANGUE que é quando ocorre um eclipse lunar e a lua ficara um pouco avermelhada.

E o que isso tudo significa?

Muita coisa Diferente dependendo da tradição ou religião que você segue.

Na Wicca a Lua Cheia é a noite que realizarmos um esbá, uma cerimônia que realizamos para agradecer aos Deuses pelas coisas boas, nos conectamos mais com a energia da Lua Cheia “puxando a lua para baixo” e alguns fazem magia nessa data por causa da energia estar muito maior do que nas outras noites.

A Lua Azul é uma lua ainda mais especial do que as outras luas cheias, seria uma noite para você fazer oferendas aos Deuses que você cultua mais, fazer magia para algo mais complicado que você não esta conseguindo.      
Já a Lua de Sangue pode assustar algumas pessoas e preocupar outras, alguns a associam a morte e brigas, e outros a associam ao sangue menstrual e renovação.
De qualquer forma essa noite de quarta feira será especial e terá energias poderosas, mesmo que o céu esteja nublado e você não enxergue nada ainda sim nessa noite terá muito poder que podemos canalizar para nossas magias.

Como aproveitar essa noite?

Para quem segue a religião Wicca no dia 1 de fevereiro é no hemisfério sul celebrado o sabá de Lammas a “Primeira Colheita”, ou para quem segue o hemisfério norte o sabá de Imbolc “A Festa das Luzes”, muitos como eu vão aproveitar essa noite especial para celebrar o sabá de Lammas.

  
Se você esta começando na bruxaria ou esta afastado, essa noite é perfeita para você fazer um ritual nem que seja pequeno e simples para se conectar mais com as energias do universo e os ciclos da natureza.

Não deixe essa noite especial passar em branco!

Leia Também no Blog:





Por: Marcus Vinicius Goes Soares

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Comentando o Blecaute e a Lua Cheia

Esse Relato saiu direto do meu Grimório: 
 
Aproximadamente a meia noite do dia 2, teve um blecaute aqui no meu bairro o jardim Mourisco em Taubaté, eu aproveitei a escuridão para ouvir as musicas pagãs no meu celular com o fone de ouvido e fiquei sentado na minha poltrona, meus olhos já estavam acostumados a escuridão da cidade iluminada pela luz da Lua Cheia.

Estava pegando o incenso para acender e oferecer a Lua quando a energia elétrica voltou, fiquei um pouco incomodado, pois não queria que a luz amarelada dos postes públicos atrapalhassem a luz natural da Lua Cheia.
Mesmo assim ouvindo minhas musicas wiccans com o fone já que era de madrugada e não queria fazer barulho e cantei, dancei e ofereci incenso de alfazema para a Lua Cheia, senti a energia poderosa da Lua, me senti eufórico e satisfeito fazendo uma coisa simples.
Depois tomei um banho de purificação e fiz uma magia simples que postei no meu blog para absorver a energia da Lua Cheia, senti ainda mais energia durante esse pequena magia, bebi vinho como união.
O que aprendi nessa Lua Cheia é que haverá momentos em que as trevas virão sem aviso sobrepujando a luz, em outros momentos a luz afastara as trevas, e muitas vezes temos que aprender a conviver com os dois lados.
Nem tudo dará certo, nem tudo sairá como planejado, mas no balanço geral essas três primeiras madrugadas de 2018 tem sido de magia de uma forma ou de outra.   



Por: Marcus Vinicius Góes Soares

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Minha Experiencia Magica no Inicio do Ano

Esse Relato saiu direto do meu Grimório: 

No momento da vidada do ano de 2017 para 2018 estive em um ritual Wicca, meu ritual solitário, comecei o ano literalmente “dentro da Bruxaria”, dentro de um circulo magico, entre os mundos, o profano e o sagrado.

Comecei uns dez minutos antes da meia noite, tracei o circulo as pressas, ansioso e preocupado, sinto que o meu 2018 será assim. Mas o importante que estava em um local purificado e protegido, com as energias dos Deuses e guardiões, elementais e dragões e os Cavaleiros do Passado.
Já havia montado o altar e jogado sal na minha casa toda antes do ritual começar, estava vestido de céu, me sentindo livre, sozinho em casa, independente.
Senti o tempo todo como se alguém estivesse me observando, me ouvindo em um momento do ritual juro que ouvi alguém dentro de casa chamando o meu nome “Marcus”, até inclinei a cabeça para fora do quarto para ouvir quem havia me chamado, cheguei a achar que minha família tinha chegado antes em casa, acho que era parecida com a voz do meu pai, só que mais suave e baixo, impossível ser um vizinho.

O importante que me senti em paz, fazendo o que eu queria como eu havia planejado, estava no controle do ritual, senti as energias poderosas, o cheiro bom do incenso, o sal grosso abaixo de meus pés, não queria usar chinelo, queria estar mais conectado com a Terra.
Coloquei uma carta do Tarot no altar “O Sol”, o Incenso que usei foi o de canela, a vela preta ofereci para Hécate, uma das velas azuis ofereci para Zeus e a outra para Athena, a vela amarela para o Deus Sol, a vela vermelha para os dragões, queimei folhas de louro no momento exato da virada firmando com toda a minha energia o meu grande objetivo para 2018 e a outra vela amarela no meio do meu “prato da prosperidade”, usei o de sempre para a abundancia, milho, arroz, feijão, lascas de canela, folhas de louro e açúcar para unir tudo.
Depois que o ritual terminou eu deixei as velas queimarem até o fim em cima do altar e só depois limpei tudo antes de ir dormir, sinto que nesse ano meus objetivos vão se realizar, sinto que as coisas estão diferentes, pois comecei diferente, não sou o mesmo de antes.   

Por: Marcus Vinicius Góes Soares