quarta-feira, 30 de maio de 2018

Ritual para Hécate


Eu Criei esse Ritual que é parecido com os de outras tradições voltadas para Hécate, já que esses rituais tem as mesmas bases. Eu o fiz varias vezes e sempre senti a presença da Deusa Hécate, sempre senti que ela gostou.

Recomendações: Faça na noite de Lua Nova ou Lua Cheia, ou dia 13 de Agosto Dia de Hécate
Se purifique antes do começo do ritual, limpe o local do ritual e o purifique, monte o altar com as oferendas, se não tem dinheiro para comprar uma estatua de Hécate imprima uma imagem da Deusa, use tecidos pretos para forrar o altar.  

Por: Marcus Vinicius Góes Soares


1 – Chamando por Hécate: Erga os Braços diante do altar e diga:

Hécate Deusa Triplice, do sub mundo, dos Caminhos da Terra e da Lua, Hécate Deusa da Magia, Hécate Deusa dos Mistérios, do mar e da maternidade, Deusa Hécate ouça o meu chamado e por favor, venha a mim, venha a esse ritual.


2 – Oferendas: Para Cada Oferenda diga, se estiver em um prato o levante com as duas mãos, se estiver em um cálice erga o cálice.

Deusa Hécate, eu humildemente ofereço *******, Deusa Hécate, por favor, aceite essa oferenda.

Oferendas Recomendadas: Incenso, vinho tinto, alho, cebolas, ovos, bolo e pão feitos por você, velas pretas.

4 – Despertando seus Dons: Coloque o dedo médio e indicador sobre o terceiro olho (entre as sobrancelhas) e fazendo círculos estimulando o local fale.

Deusa Hécate, por favor, Desperte os meus dons espirituais, Desperte dos meus dons mentais, Desperte os meus dons mágicos, Desperte o meu poder, e que tudo que eu faça seja impregnado de magia e poder.

Se tiver um pedido, fazer outra oração, dançar, rodopiar, cantar, ler o tarot, faça agora.

5 – Agradecimento e Termino: Erga os Braços

Deusa Hécate, obrigado por sua presença e ajuda, Hécate esse ritual terminou.
O que deveria ter sido feito, esta feito, que assim seja e assim se faça.


Por: Marcus Vinicius Góes Soares



Curta Tambem: Esse é Alguem na Bruxaria

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Respondendo a Algumas Perguntas sobre a Egrégora dos Cavaleiros



Quem são os Cavaleiros?

“Cavaleiros do Passado” é uma forma genérica de me referir a uma egrégora gigantesca e variadíssima que conta com uma miríade enorme de Cavaleiros, guerreiros, soldados, gladiadores, sentinelas, guardas e etc.
Eles são espíritos de pessoas que morreram e também seres do plano astral baseada em lendas e historias que podem ou não ser baseadas em fatos.
Um exemplo disso são os Cavaleiros da Távola Redonda (que podem ter existido ou não) e os Cavaleiros Templários.

Eles são Templários?

Sim e Não ao mesmo tempo, em meus rituais eu chamo os Cavaleiros de uma forma “genérica”, então se um Templário quiser vir e me ajudar eles estarão livre para isso.

Para que eles Servem?

Proteção de vários tipos diferentes, guiam em nossas vidas tanto matérias quanto espirituais, ajudam em problemas, orientação, coragem, bravura, eles afastam pessoas ruins de perto de nós.
Eles também servem para atacar e ferir seus inimigos, mas nunca fiz nenhuma magia com eles para esse fim.

Eles te deram algum resultado real?

Eles me guiaram dando ensinamentos, me inspiraram de várias formas diferentes, me protegeram de várias formas e tantas outras coisas e sinto que isso é só o começo.
Sinto que eles tem um plano para mim, mas quase todo religioso acredita que Deus tem um plano para ele isso faz com que as pessoas se sintam especiais.
Mas os Cavaleiros quando atraídos são bem mais ativos do que outros espíritos.


Como trabalhar com eles?

Entrando para uma Ordem de Cavalaria Mística, ou faça o mesmo que eu faço, monte um pequeno altar para eles mesmo que seja temporário, faça algumas orações e oferendas, seja sincero.

Eu aprendi com eles mais do que com qualquer outra egrégora é que “semelhante atrai semelhante”, se você fizer uma coisa simples, pura e boa, vai atrair Cavaleiros com a energia semelhante, se fizer algo cheio de intenções ruins, com medo e de “qualquer jeito” vai atrair Cavaleiros iguais. Então tome cuidado!

Relato tirado direto do meu Grimório: Ritual dos Cavaleiros de 08/05/2018

Eu fiz uma oferenda mais simples dessa vez, pão, cerveja, uma vela prata e um incenso, coloquei uma monte de flores brancas de cinco pétalas cada, elas não tinham um cheiro bom e eram pequenas, mas ajudou a enfeitar bastante o altar mais do que na vez anterior, coloquei quatro facas grandes de cozinha, aquelas tradicionais “peixeiras”, eu as coloquei em forma de triangulo duplo para cima com as laminas apontando para fora, para dentro seria como se elas cortassem a vela.
O símbolo que criei com as peixeiras é um símbolo muito usado em vários exércitos pelo mundo, ele representa a alta patente militar e a força masculina.
As quatro facas, o punhal e mais uma pequeno amuleto em forma de espada ajudaram a atrair a energia masculina e um pouco “agressiva” dos Cavaleiros, nesse ritual eu usei mais do que o anterior a minha imaginação para visualizar um Cavaleiro ao meu lado, o momento mais interessante do ritual foi quando eu acendi o incenso na vela, eu ouvi uma das laminas tremendo sozinha, mas eu nem toquei no altar, não a como ela tremer sozinha, acredito que foi a energia emanando dela ou entrando nela.

Estou apaixonado pela egrégora dos Cavaleiros!

PS: A Vela prata ficou mais de cinco horas acesa, não me lembro de uma vela como essa ter ficado acesa por tanto tempo.

Por: Marcus Vinicius Góes Soares 



Curta Tambem: Esse é Alguem na Bruxaria